quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Poema




Livro
(Felipe Pauluk)


Escrevo-me...

Nas páginas do cotidiano

Grafo-me...

Neste livro inacabado,

pois quando

cerrar perene meus olhos,

de fato...

Quem dirá,

ainda este vivo,

O que há do outro lado?

Há de ser...

mais um capítulo.

Deste meu eu,

um diário morte e vivo.





-

6 comentários:

  1. Uau! Está lindo! Muitos parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Lindíssimo o poema.
    Vai seguir carreira???

    ResponderExcluir
  3. muito foda!
    nossa, não li todos daqui,
    mas esse tá muito muito muito bom!
    parabéns

    ResponderExcluir
  4. E o cotidiano vai criando vários capítulos, uns parecidos com os outros....

    Beijos moço!

    ResponderExcluir
  5. Lindo!
    E obrigado pelos coments no meu blog, me sinto lisongeada...
    Olha não estou nem perto de você, mas me siga!
    http://morganafischer.blogspot.com

    Bjoss

    ResponderExcluir
  6. Oi Felipe, é o primeiro texto seu que leio e já estou encantada, belas palavras, você leva jeito.
    Obrigada pela visita no meu blog, abraços. Lee.

    ResponderExcluir