terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Poesia Surrealista...










*Sonho real
(Felipe Pauluk)


Traço marcante da distração humana
Delírios que uivam no interior
Espelho límpido do externo que desanda
Renomado analista da dor

Eu adormeci no encanto noturno
E vi cavalos amarelos no pasto
Vi lobos raivosos cantando hinos
E paralisei sem saber o que faço

Avistei os velhos lamuriando sem bicicletas
Ninfa-sereia presa nos galhos secos
Morcegos voando com asas de borboletas
Caçadores ansiosos e coelhos no desespero

Vislumbrei a quietude da noite
E estrelas vermelhas precipitavam do céu
Um rei espantalho com braço forte
Gozava da luxuria do vinho e do mel

Eu acordei soturno na alvorada
E percebi que o real era um sonho
Os personagens ainda atuavam
Neste desequilibrado mundo tristonho






*Esta poesia está no meu primeiro livro chamado "MEU TEMPO DE CARNE E OSSO". Será lançado em março de 2011 pelo Selo ORPHEU da Editora Multifoco.

3 comentários:

  1. Parabéns! Está muito bom! Não sabia que iria ter um livro! beijo e novamente parabéns! :D

    ResponderExcluir